Pesquisar este blog

sábado, 3 de julho de 2010

Tecido Epitelial

A forma e as características das células epiteliais:

Forma poliédrica, devido ao fato das células serem justapostas formando folhetos ou aglomerados tridimensionais, a forma do núcleo geralmente acompanha a forma das células.

Praticamente todas as células epiteliais estão apoiadas por um tecido conjuntivo .Se o epitélio recobre cavidades de órgãos ocos, a camada de tecido conjuntivo recebe o nome de lâmina própria, a porção da célula epitelial voltada para o tecido conjuntivo é denominado porção basal, ou pólo basal, e a extremidade oposta é denominada porção apical ou pólo apical, e a superfície dessa região é denominada superfície livre, já as superfícies das células epiteliais que se encontram às células vizinhas são chamadas paredes laterais.

· Lâminas basais e membranas basais:
Na superfície de contato entre as células epiteliais e o tecido conjuntivo há uma lâmina basal, que só é visível ao microscópio eletrônico .Aparece como uma camada elétron-densa, formada por uma delicada rede de fibrilas (lâmina densa), pode apresentar também uma camada de elétron-lucentes nos lados da lamina densa (lâminas lúcidas). Os componentes principais das laminas basais (secretados pelas células epiteliais) são: colágeno tipo IV, glicoproteínas (laminina, entactina e proteoglicanas).
As laminas basais existem também em outros tipos de células que entram em contato com o tecido conjuntivo, ela forma uma barreira que limita ou controla a troca de macromoléculas entre essas células e o tecido conjuntivo, estão presentes também entre camadas de epitélio adjacentes ou muito próximas.
Há casos em que fibras reticulares, produzidas no tecido conjuntivo, se associam as lâminas basais, formando as laminas reticulares.

Funções: papel estrutural, filtração de moléculas, influenciam na polaridade das células, regulam a proliferação e a diferenciação celular, influem no metabolismo celular, organizam proteínas nas membranas plasmáticas de células adjacentes, servem como caminho e suporte para a migração de células , contem informações necessárias para algumas interações célula-célula .

Membrana basal: nome dado a estrutura visível ao microscópio de luz, que resulta da união de duas laminas basais, ou de uma lamina basal e outra reticular.

· Junções intercelulares:
Estruturas responsáveis pela coesão e comunicação entre células.
Sabe-se que as células epiteliais apresentam uma intensa adesão mútua, o que ocorre devido, em partes, a ação coesiva de glicoproteínas transmembranares, chamadas caderinas, que perdem sua capacidade de aderência na ausência de íons de cálcio . Além dessas macromoléculas, há especializações que aumentam a adesão, as junções intercelulares, que servem não apenas para a adesão, como também para a vedação, além de que podem oferecer canais para a comunicação entre células adjacentes, logo há uma classificação:

1. Junções de adesão, zônulas de adesão: circunda toda a célula e contribui para a aderência entre células vizinhas.

2. Junções impermeáveis, zônulas de oclusão: costumam ser mais apicais. “Zônula” significa cinturão, logo circunda toda a célula, e “oclusão” se refere a fusão de membranas, portanto ocorre a vedação do espaço intercelular. Função: promover a vedação, o que impede o movimento de materiais entre células epiteliais, participam da formação de compartimentos funcionais, delimitados por folhetos embrionários de células epiteliais. (A junção da zônula de oclusão com a de adesão que circunda toda a parede lateral da região apical de vários tipos de epitélio, é denominada complexo unitivo)

3. Junções de comunicação, junções comunicantes ou junções GAP: presente em qualquer local das membranas laterais, são formadas por porções de membrana plasmática em forma de placas. As proteínas da junção comunicante: conexivas, se organizam em torno de um poro, esse conjunto é denominado conexon. Conexons de uma célula se unem a conexons de outra célula, formando canais hidrófilos, permitindo o intercambio de moléculas, como as de sinalização .Inibidores metabólicos, inibem a formação de junções ou desfazem as já existentes.

4. Desmossomo ou mácula de adesão: estrutura complexa, em forma de disco, presente na superfície de uma célula,e que é sobreposto a uma estrutura idêntica presente na superfície da célula adjacente, promove uma adesão bem forte, que é inibida pela ausência de cálcio

5. Hemidesmossomos: estrutura similar ao do desmossomo, prendem a célula epitelial a lâmina basal.

Além disso, há também a presença de papilas, que aumentam a área de contato, através de evaginações, estão presentes em maior freqüência em tecidos epiteliais de revestimento, sujeito a tensão mecânica, ex.: pele, língua e gengiva .

Especializações da superfície livre das células epiteliais:

Funções: aumentar a superfície de contato ou locomover partículas.

· Microvilos: pequenas projeções do citoplasma, com expansões curtas ou na forma de dedos.
Em células que exercem intensa absorção o glicocálix é mais espesso que nas maiorias das células, e o conjunto de glicocálix e microfilos é visto facilmente ao microscópio de luz, sendo chamado de borda em escova, ou borda estriada .

· Estereocílios: prolongamentos longos e imóveis de células do epidídimo e do ducto deferente, que na verdade são microfilos longos e ramificados. Eles aumentam a superfície de contato, facilitando o movimento de moléculas.

· Cílios e flagelos: prolongamentos dotados de mobilidade, apresentam dois microtúbulos centrais, e pares de microtúbulos periféricos.
Os cílios estão inseridos em corpúsculos basais, que são estruturas eletron-densas, situadas no ápice das células, logo abaixo da membrana . O movimento ciliar é freqüentemente coordenado para permitir que uma corrente seja impelida ao longo do epitélio .
Os flagelos estão presentes, no corpo humano, apenas nos espermatozóides, e sua estrutura é semelhante a dos cílios, porém os flagelos são mais longos e limitados por células.

Tipos de epitélio:
· Epitélio de revestimento: as células são organizadas em camadas, que cobrem a superfície externa e revestem cavidades.

Classificação, de acordo com o número de camadas:

1. Epitélio simples: possuem apenas uma camada de células, pode ser, de acordo com o formato das células

2. Epitélio estratificado, contem mais de uma camada de células
De acordo com a forma de suas células, o epitélio simples pode ser:

1. Pavimentoso: ex.: endotélio e mesotélio (reveste cavidades do corpo)

2. Cúbico: ex.: epitélio que reveste externamente o ovário

3. Prismático; reveste o intestino delgado

O epitélio estratificado pode ser:

1. Pavimentoso:
Não queratinizado: reveste cavidades úmidas, ex.: esôfago, vagina .
Queratinizado: reveste superfície secas, ex.: pele.
Ambos apresentam várias camadas de células, sendo que as que se localizam próximas ao tecido conjuntivo (células basais) apresentam formato cúbico ou prismático, porém, a medida que se aproxima do ápice, o formato das células fica cada vez mais irregular, até que na superfície elas se tornam achatadas. Nos epitélio não queratinizado as células achatadas da superfície retém os núcleos e boa parte das organelas; enquanto que no queratinizado as células mais superficiais são mortas, e seu citoplasma é ocupado por grande quantidade de filamentos intermediários de citoqueratina .

2. Prismático: (raro) presente apenas na conjuntiva ocular e nos grandes ductos excretores, como os das glândulas salivares.

Epitélio de transição: epitélio estratificado cuja a parte mais superior é formado por células globosas, reveste a bexiga urinária (a forma das células muda de acordo com o aumento da bexiga), o ureter e a parte superior da uretra .

Epitélio pseudo-estratificado: é formado por apenas umas camada de células, porém os núcleos parecem estar em várias camadas. Reveste as passagens respiratórias.

Células neuroepiteliais: constituem epitélios com funções sensoriais especializada, ex.: células das papilas gustativas e da mucosa olfatória .

Células mioepiteliais: células ramificadas com miosina e actina, capazes de se contrair, abraçam a unidade secretora da glândula, e se contraem afim de expelir os produtos da secreção, estão presentes nas porções secretoras das glândulas mamárias, sudoríparas e salivares.

· Epitélios glandulares:
Composto por células especializadas na atividade de secreção, as moléculas a serem excretadas são armazenadas nas células em pequenas vesículas envolvidas por uma membrana, e são chamados de grânulo de secreção .
Podem sintetizar, armazenar e secretar proteínas (pâncreas), lipídeos (adrenal, glândulas sebáceas) ou complexo de carboidrato e proteínas (glândulas salivares).

Tipos de epitélio glandulares:
· Glândulas unicelulares: células glandulares isoladas, ex.: célula caliciforme (presente no revestimento do intestino e do trato respiratório)
· Glândulas multicelulares: composta por agrupamento de células. São normalmente envolvidas por uma cápsula de tecido conjuntivo, em que prolongamentos dessa cápsula são chamados de septos e dividem a glândula em porções menores, denominadas lóbulos, os vasos sanguíneos e nervos que penetram na glândula se subdividem no interior dos septos.
As glândulas são formadas a partir de epitélio de revestimento cujas células se proliferam e invadem o tecido conjuntivo subjacente, daí sofrem uma diferenciação (o que ocorre durante o desenvolvimento embrionário), tipos de glândulas multicelulares:
· Glândulas exócrinas: mantém sua conexão com o epitélio do qual se originaram, apresentam ductos tubulares, pelos quais a secreção são eliminadas, alcançando a superfície do corpo ou uma cavidade.
Apresentam uma porção secretora, onde estão as células responsáveis pelo processo secretório; e um ducto, que transporta a secreção eliminada das células.

Classificação:
1. Glândulas simples: apresenta apenas um ducto não ramificado . Podem ser separadas, de acordo com sua porção secretora, podendo ser: tubulares (porção secretora em forma de tubo), tubulares ramificadas ou acinosas (porção secretora esférica ou arredondada).
2. Glândulas compostas: apresentam ductos ramificados, podem ser separadas de acordo com a classificação da sua porção secretora, que pode ser: tubulares, acinosas ou túbulo-acinosas.
· Glândulas endócrinas: não apresentam ductos tubulares, portanto sua secreção é lançada no sangue e transportada para o seu local de atuação através dos vasos sangüíneos.

Existem dois tipos de glândulas endócrinas:
1. Células formam cordões enrolados em capilares sanguíneos (adrenal, paratireóide, lóbulo anterior da hipófise).
2. Células formam vesículas ou folículos preenchidos de material secretado (glândula tireóide)
Alguns órgãos apresentam funções tanto endócrinas, quanto exócrinas, e um só tipo de célula pode realizar as duas funções (ex.: Fígado), há também órgãos que apresentam um tipo de célula para realizar cada tipo de função (pâncreas, células acinosas: secretam enzimas digestivas para o ducto pancreático, enquanto que ilhotas secretam hormônios insulina e glucagon para a corrente sanguínea).

De acordo com o modo pelo qual os produtos são secretados, as glândulas podem ser classificadas como:
1. Merócrinas: a secreção é liberada pela célula por meio da exocitose, sem nenhuma perda celular, ex.: pâncreas.
2. Holócrinas: o produto de secreção é eliminado junto com toda a célula, ocorre a destruição das células repletas de secreção, ex.: glândulas sebáceas.
3. Apócrino: onde o produto de secreção é descarregado junto com porções do citoplasma apical

Biologia dos tecidos epiteliais:
· Polaridade: devido a diferente estruturação e composição de organelas presentes no ápice com organelas presentes na base de uma célula epitelial, ocorre uma polaridades nessas células, o que implica que diferentes partes dessa célula podem ter diferentes funções.
· Inervação: a maioria dos tecidos epiteliais apresentam abundante irrigação nervosa, além da inervação sensorial, há também, a inervação motora, responsável pelo funcionamento de muitas células secretoras.
· Renovação das células epiteliais: são estruturas bem dinâmica e renovadas pela atividade mitótica, a taxa de renovação varia de acordo com o epitélio .A divisão ocorre nas células mais próximas a lamina basal, onde se encontram as células tronco desse epitélio .
Aplicação médica: metasplasia: capacidade que um tecido epitelial possui de se transformar em outro, devido a condições especiais, é um processo reversível, e pode ocorrer também no tecido conjuntivo .
· Controle da atividade glandular: há tanto o controle nervoso, como o endócrino, sendo que, geralmente, apenas um deles predomina . Ambos os tipos de controle se dão através da ação de substancias químicas, denominados mensageiros químicos.
· Células que transportam íons: todas possuem a capacidade de transporte através do transporte ativo, células epiteliais usam desse meio, através da bomba de sódio e potássio, para transferir sódio através do epitélio, para a base (transporte transcelular), tal procedimento, visa a manutenção do equilíbrio elétrico e osmótico .
· Células que transportam por pinocitose: observado em epitélios simples pavimentos (endotélios e mesotélios), as células apresentam poucas organelas, e usam desse meio para transportar moléculas entre uma cavidade e o tecido conjuntivo, e vice-versa .
· Células serosas: (ex.: células acinosas do pâncreas e glândulas salivares), são poliédricas ou piramidais, núcleos centrais arredondados, região basal apresenta grande acúmulo de retículo endoplasmático rugoso associados a muitos polirribossomos, região apical apresenta um complexo de Golgi bem desenvolvido, e muitas vesículas arredondadas, envolvidas por membranas e com um conteúdo rico em proteínas, são os chamados grânulos de secreção (em células que produzem enzimas digestivas, são denominados grânulos de zimogênio). Os grânulos são sintetizados no complexo de golgi, e permanecem na célula até seu total amadurecimento, a partir daí, são eliminados, sob a ação da exocitose.
· Células secretoras de muco: exemplo: célula caliciforme dos intestinos, apresenta numerosos grânulos contendo muco (constituído por glicoproteínas), estão situados na porção apical da célula, núcleo na base, ao redor está o RER, complexo de golgi logo acima do núcleo (muito desenvolvido), as proteínas são sintetizadas na base das células os monossacarídeos são acrescentado a proteínas por enzimas.
· Sistema neuroendócrino difuso: são célula endócrinas presentes no tecido epitelial de revestimento, distribuídas por todo o organismo, possuem a capacidade sintetizar hormônios e promover a descarboxilação de aminoácidos, muito das aminas e hormônios produzidos por esse tipo de célula agem como mediadores químicos no sistema nervoso .
Aplicação médicas: Apudomas: tumores derivados de células secretoras de polipeptídios, diagnóstico feito normalmente pela realização de imunocitoquímica em cortes de biópsia do tumor.

· Células secretoras de esteróides: células endócrinas com as seguintes características:
1. Acidófilas, poliédricas ou arredondadas, com núcleo central.
2. Citoplasma com abundante retículo endoplasmático liso, que possui as enzimas necessárias para a sintetização de colesterol e a capacidade de transformar a pregnenolona, produzida nas mitocôndrias, em andrógenos, estrógenos e progestágenos.
3. Mitocôndrias esféricas ou alongadas, com cristas tubulares, ao invés das cristas em forma de prateleiras, usualmente encontradas, apresentam as enzimas necessárias para a clivagem da cadeia lateral do colesterol e para a produção do pregnenolona, também participa das reações subseqüentes para a produção de hormônios esteróides.
Aplicação médica: tumores derivados de células epiteliais: tumor maligno de origem epitelial: carcinoma, os derivados de tecido epitelial glandular, são: adenocarcinomas. Os carcinomas compostos por células diferenciadas refletem características morfológicas específicas e comportamentos das células das quais se originaram (por exemplo: produção de queratina, muco e hormônios). Carcinomas indiferenciados são freqüentemente difíceis diagnosticar só por análise morfológica, como esses carcinomas freqüentemente contem queratina, a detecção dessas substancias por imunocitoquímica em geral ajuda a determinar o diagnóstico e o tratamento desses tumores.
.
.
.
ESTUDO DIRIGIDO
1. Quais são os quatro tipos básicos de tecidos que constituem o organismo?
2. Cite resumidamente as características de cada tipo básico citado.
3. As células epiteliais podem apresentar formas variadas. Quais são elas?
4. Como essas células se organizam?
5. Qual a relação entre a forma do núcleo e a forma da célula?
6. Qual o conceito de lâmina própria?
7. Qual o conceito de lâmina basal? A lâmina basal pode ser vista ao MO?
8. Qual o conceito de membrana basal? A membrana basal pode ser vista ao MO?
9. Cite os tipos de junções celulares existentes entre as células epiteliais e especifique a função de cada um deles.
10. Qual a estrutura de uma zônula de oclusão? Cite um exemplo no organismo da importância dessa junção.
11. Que particularidade a junção GAP (comunicante) apresenta que permite o desempenho de sua função? Cite um exemplo no organismo da importância dessa junção.
12. Quais são as especializações da superfície celular encontradas em epitélios? Dê exemplos de localização.
13. Qual a estrutura de cada tipo de especialização da superfície celular citado acima.
14. Quais são os parâmetro considerados para efetuar a classificação dos epitélios de revestimento?
15. Quando um epitélio de revestimento é considerado simples?
16. Quando um epitélio de revestimento é considerado estratificado?
17. Cite os tipos de epitélio de revestimento considerados simples. Dê exemplos de localização.
18. Cite os tipos de epitélio de revestimento considerados estratificados. Dê exemplos de localização.
19. Cite as características de um epitélio de revestimento pseudo-estratificado.
20. Como é possível distingüir, em uma lâmina histológica, um epitélio pseudo-estratificado de um estratificado verdadeiro?
21. Por que alguns epitélios de revestimento apresentam várias camadas de células enquanto outros apresentam apenas uma?
22. Cite as funções do epitélio de revestimento e indique qual o elemento ou organização epitelial é responsável por tal função.
23. Explique o processo de formação de uma glândula exócrina.
24. Cite as porções constituintes de uma glândula exócrina.
25. Como podem ser classificadas as glândulas exócrinas quanto à ramificação do seu ducto?
26. Como podem ser classificadas as glândulas exócrinas quanto à forma da porção secretora?
27. Como podem ser classificadas as glândulas exócrinas quanto ao modo de eliminação da secreção?
28. Em uma glândula qualquer, que possa ser dissecada, qual seria o parênquima glandular? E qual seria o estroma glandular?
29. Qual a definição de uma glândula exócrina?
30. Explique o processo de formação de uma glândula endócrina.
31. Qual a definição de uma glândula endócrina?
32. Qual o nome dado ao produto de secreção de uma glândula endócrina qualquer?
33. Como são classificadas as glândulas endócrinas? Como se organizam as células secretoras nesses tipos glandulares citados.
34. Descreva como se dá a nutrição, oxigenação e a remoção do refugo do metabolismo de células epiteliais.
35. Epitélios são inervados?
36. Qual o conceito de camada basal de um epitélio estratificado. Qual a importância dessa camada?
37. Qual o conceito de camada da superfície livre em um epitélio estratificado? Qual a importância dessa camada?
38. Cite a estrutura de uma célula que transporta íons. Por que esse tipo celular apresenta muitas mitocôndrias?
39. Cite a estrutura de uma célula serosa. Dê exemplos de localização de células serosas.
40. Cite a estrutura de uma célula mucosa. Dê exemplos de localização de células mucosas (outras que não as caliciformes).
41. Qual a função do muco secretado por células caliciformes do trato respiratório?
42. Qual a função do muco secretado por células caliciformes dos intestinos?
43. Por que o epitélio de revestimento do intestino grosso apresenta maior quantidade de células caliciformes quando comparado ao intestino delgado?
44. Cite a estrutura de uma célula secretora de esteróides.

14 comentários:

  1. Valeu pelo assunto tava procurando em todo canto e só encontrei porcaria, e ainda existe quem diga que loira é burra; porem esta completamente enganado um exemplo claro disso é essa gatinha que além de linda é super inteligente,

    ResponderExcluir
  2. muito bom o material, em parte o que eu estava procurando.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom esse material, bem explicado e simples de entender.

    ResponderExcluir
  4. Qual a resposta da questão 20?

    ResponderExcluir
  5. Amei.
    Esse resumo do J&C me salvou.
    Parabéns

    ResponderExcluir
  6. qual e a resposta da 14

    ResponderExcluir
  7. nao tem um gabarito ?

    ResponderExcluir
  8. Alguem sabe a resposta da 34 por favor

    ResponderExcluir